Paisagismo

Como paisagista, com 40 anos de experiência, Bontempo buscou preservar ao máximo o que já existia e introduzir somente espécies brasileiras dando ênfase às nativas da mata atlântica. Em relação às nascentes, diversos cuidados foram tomados. “Demarcamos todas as áreas de preservações permanentes e eliminamos as roçadas. De jusante para montante, em direção as nascentes, foram criadas 48 escadas de dissipação com uma cerca de bambus na horizontal amparados em estacas e recobertos por lona preta.

Estas pequenas barragens, com desnível de 40 cm entre elas, permite o acúmulo de águas pluviais e sua infiltração no solo. Com isto o rincão que desce de uma nascente no alto do condomínio e que, antigamente, era completamente seco, hoje já corre em filete de água, permanentemente”, informa.

O paisagista destaca que todas as nascentes estão sendo cuidadas visando a preservação e o aumento do volume de água. Segundo ele, todas as áreas de preservações permanentes e áreas verdes serão plantadas ou adicionadas mais espécies às já existentes. “Em três anos já plantamos cerca de 8 mil mudas de espécies de árvores. Todas elas produzidas aqui em nosso viveiro. Quando iniciamos o projeto em 2013, de imediato implantamos um viveiro de mudas para que pudéssemos produzir e cultivar as plantas nativas da região: árvores, palmeiras e arbustos. Visamos o plantio de espécies que sirvam de alimento para aves e pequenos mamíferos, além de produzirem flores em profusões. Só de espécies de ipês amarelos são seis, roxos são 3, além do branco e rosa. Serão, ao todo, 7.500 ipês plantados e mais 27.500 de arvores e palmeiras diversas”, adianta.

O empreendedor afirma que durante a coleta das sementes, o grupo de trabalho se deparou com uma espécie de palmeira em extinção - a Lytocaryum hoehnei de pequeno porte, com habitat sob a copa das arvores mais altas. “Estamos tentando multiplicá-la por semente, mas o índice de germinação é muito baixo. Vamos reintroduzi-la nas áreas verdes do condomínio e esperamos que haja disseminação das sementes pelos pássaros. Outra espécie que também merece destaque é um Ipê-amarelo da folha prateada - Handroanthus albus (cham.) Mattos - espécie também nativa da região e altamente ameaçada de extinção. Com esta estamos tendo sucesso na multiplicação por sementes e já contamos com mais de uma centena de mudas”, comemora.